Bolsonaro ou Lula

Um olhar sobre as eleições brasileiras

O Brasil é um país completamente diferente de Portugal, não só em questões óbvias de localização e tamanho, mas sobretudo em termos culturais. Somos um pais muito antigo e com enormes ligações ao nosso jovem país irmão, mas não nos podemos esquecer que é uma nação muito diferente da nossa e com as mesmas dores de crescimento que o resto da América do Sul. Por isso, é preciso muito cuidado quando refletimos e comentamos sobre as eleições brasileiras, nomeadamente a dicotomia Bolsonaro e Lula. Sabemos que a comunicação social sempre foi muito beligerante com a direita do outro lado do Atlântico, pelo menos desde Ronald Reagan. Agora há a novidade de ser extremamente parcial a defender o progressismo também do lado de cá. Por isso talvez não devessemos confiar no que nos dizem e procurar diferentes fontes de informação antes de formar uma opinião.

A América do Sul tem sido contaminada pela pobreza, insegurança, desigualdade e assimetria crescente entre a população. Por muito que queiramos ser imparciais na análise, estamos a falar de paises onde o socialismo tem imperado e os governantes utilizam dinheiros públicos em proveito próprio. Foi o triunfo do célebre “rouba mas faz” que os brasileiros costumam dizer com a sua habitual boa disposição. O que Bolsonaro veio perguntar de novo foi “como você pode deixar que corruptos controlem a economia e façam a gestão do seu dinheiro?” – a resposta foi avassaladora e clara, contra interesses instalados há demasiado tempo. É evidente que é difícil para nós entender a sua linguagem ou forma de expressão, mas também aqui devemos recordar a diferença cultural e de contexto social. O que Bolsonaro veio afirmar, no meio de um ruido tantas vezes incompreensível, é que o socialismo gera e respira corrupção, o único recurso inesgotável é a mente humana e a liberdade faz toda a diferença do mundo. E este é o discurso que coloca em perigo toda a argumentação da ideologia progressista prevalecente, assim como as fortunas que se fizeram à sua custa.

Ler o artigo completo no semanário O Diabo de hoje (12/08/2022)

4 comments

  1. Amigo Diogo, concordo com tudo o que escreveu. Porém, há uma questão: o radicalismo de Bolsonaro em governar para o eleitorado dele e se esquecer que o Brasil tem muitas facetas. Qualquer candidato vencedor não é eleito pela maioria dos votos, mas pela maior parte (o que é diferente).
    O grande problema do governo Bolsonaro: “as birras” criadas por ele que trouxeram uma convulsão nas Redes Sociais! Ele foi contra a vacina, e depois se rendeu a elas quando percebeu que ficou só; defendeu radicais como Alan dos Santos e Daniel Silveira, que ameaçaram o Judiciário confundindo liberdade de expressão com ofensas. E por aí vai.
    Lula? Nunca mais! Xô!
    Falta ao nosso país um nome forte ponderado, sensato, antipetista e não radical. Aguardo uma 3a via.
    Abraços!

    Gostar

    • Rafael Porcari, em que medida Allan dos Santos e Daniel Silveira são radicais? Porque expressaram sua opinião? Não lhes consagra esse direito a Constituição Brasileira? Quando muito, quem se sentiu ofendido poderia colocá-los em tribunal por ofensa à honra. Nunca pretender colocar na lista da Interpol por “crime de opinião “. “Ameaçar o Judiciário ” como? Com palavras? O próprio Alexandre de Moraes disse que quem não quiser ser alvo de críticas não deve ir para a vida pública. Uma crítica não é uma ameaça.

      As mortes violentas dininuiram no Brasil, as invasões de terra idem, foi construída infraestrutura essencial, finalmente concluíram a transposição do Rio S. Francisco, obras de saneamento básico, de ferrovias, um programa de alfabetização excelente, a economia crescendo, o programa Adote um Parque, a baixa nos impostos… tudo isto e muito mais (e mais seria, não fosse a oposição a boicotar várias propostas) abrange todo o povo Brasileiro e não apenas, como disse, o “eleitorado do Presidente”.

      Gostar

      • Olá Cristiane, Alexandre de Moraes tem seus excessos e suas penas são exageradas. Mas esses senhores fizeram ameaças de violência, incluindo públicas intimidações de agressões físicas (no caso de Silveira).
        Não podemos confundir liberdade de expressão com anarquia.
        Repare que não entrei em discussão sobre obras, tanto Lula quanto Bolsonaro fizeram coisas boas e ruins. Entretanto, Lula foi o centro de episódios nefastos como Mensalão e Petrolão.
        Eu sonho com um presidente honesto, competente e que transmita credibilidade. Nenhum dos dois preenche esse quesito (e se assim fosse, ambos não teriam altíssima rejeição e seriam mais ponderados).
        Abraços.

        Gostar

  2. Rafael temos de ter senso de proporção. O que o STF fez é inconstitucional, ilegal e, para além disso, absolutamente exagerado.
    O Rafael assistiu aos vídeos de ambos? Eu assisti. Tem uma linguagem que eu não uso, um excesso de palavras de baixo calão, mas, como disse uma Juíza que falou sobre o caso, isso apenas configura ofensa e bravata. “Vem cá que eu te encho de porrada” ou algo no género, de acordo com a Juíza, não configura, no Direito, ameaça real. E só falaram verdades. Nós bem sabemos como todo este activismo judicial é perigoso e prejudica o país.
    Cortaram todos os meios de subsistência do Allan dos Santos, fecharam sua empresa de jornalismo que já tinha mais de 50 funcionários, bloquearam suas contas bancárias e fecharam suas páginas e toda a sua presença online. Está impossibilitado de trabalhar e de ter uma conta no banco, não podendo cuidar da sua filhinha que teve uma doença muito grave. O Telegram Brasil foi bloqueado enquanto não eliminou a conta do Allan (e de outro jornalista, além de remover um vídeo partilhado pelo Presidente). Isso é de abuso total, só num regime ditatorial acontecem estas coisas.
    O Daniel Silveira é Deputado Federal e tem a Constituição dizendo que ele é inimputável por QUAISQUER palavras e actos. Foi preso em flagrante (considerado “flagrante perpétuo”(??)) com mandato (ou há flagrante ou há possibilidade de ser elaborado um mandato). Foi preso por 9 meses por “crime inafiançável” e sem julgamento (tráflco de dr0gas? não, palavras).
    Nesses inquéritos ilegais (e não sou eu que o digo, mas diversos Procuradores, Juízes e Advogados) as pessoas citadas tiveram seus bens apreendidos mas seus advogados não têm acesso aos autos.
    Quanto ao resto, falei pq disse que o Bolsonaro apenas trabalhou para os seus eleitores, nas podemos verificar que, ao contrário, trabalhou para todos os Brasileiros.
    Relativamente à alta taxa de rejeição, não se informe pela “grande imprensa”, ao menos assista a Jovem Pan. O Bolsonaro, onde vai, tem sempre centenas ou milhares de pessoas de norte a sul do país a aplaudi-lo. Nos aeroportos, seguindo-o de moto ou de carro… na saída do Flow estava tanta tanta gente que o Emílio Surita do Pânico disse que o Bolsonaro era mais popular que o Paul McCartney nos seus tempos áureos.
    Resumindo, tem um Presidente honesto, autêntico, competente (este Governo conseguiu que, após 2 anos terríveis para o mundo inteiro, a economia Brasileira esteja entre as que mais crescem) e que transmite sim credibilidade a nível internacional.
    😉 Mais 4 anos de governo Bolsonaro, com um Senado competente e sem medo do STF, e já poderá aparecer um outro nome, alguém igualmente sem medo de lutar contra corruptos poderosos e a favor do seu país.
    Abraços

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s